Fundos de Investimento em shopping centers são tendência e rentabilizaram 147% no último período

Atualmente, os shopping centers no Brasil geram uma receita de R$ 167,7 bilhões em vendas, o que corresponde a 2,5% do PIB nacional

(Foto: divulgação)
Glauco Humai, presidente da Associação Brasileira
de Shopping Centers (Abrasce)
Os Fundos de Investimentos com foco em shopping centers são uma tendência de mercado no Brasil. A afirmação é do especialista em Real State e Retail, Manuel Puig, um dos palestrantes desta quarta-feira (13) do 2º Seminário Internacional de Shoppings e Centros de Convenções, realizado no Teatro do Shopping Frei Caneca, em São Paulo, promovido pela Legatus Asset, gestora de Fundos focada em shopping centers e centros de convenções, que reuniu importantes nomes do setor.

Atualmente, os shopping centers no Brasil geram uma receita de R$ 167,7 bilhões em vendas, o que corresponde a 2,5% do PIB nacional, gerando cerca de três milhões de empregos diretos e indiretos. Mas ainda há muito o que expandir.

A média internacional é de 30 m² de Área Bruta Locável (ABL) para cada 100 habitantes. Já a média nacional é de 7,5 m² de ABL para cada 100 habitantes. “É possível, sim, expandir com planejamento e segurança o número de shopping centers no Brasil”, afirmou Glauco Humai, presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce).

O modelo como os shoppings são geridos no País também foi tema de debate dos palestrantes. No Brasil, ainda se sobressai a gestão feita por incorporadoras, ao passo que no restante do mundo é feita, na grande maioria, por Fundos de Investimentos.

Um dos atrativos dessa migração na gestão dos shoppings em atividade é que a rentabilidade dos fundos voltados para shoppings tem sido quase três vezes maior do que de outros fundos de investimento, atingindo a marca de 147% no último período.


O futuro dos shoppings

(Foto: divulgação)
Felipe Fulcher, Sócio e Diretor de Novos
Negócios da Legatus Asset
Outro tema discutido pelos especialistas foi a tendência dos shopping centers no Brasil. Assim como em outras partes do mundo, os palestrantes acreditam que os shoppings devem se tornar “centros de engajamento de consumo”, ou seja, espaços onde há uma grande oferta de serviços, cultura, lazer e gastronomia, que façam o consumidor se sentir à vontade e, com isso, consumir mais e melhor.

Ainda neste novo modelo, Juan Pablo de Vera, presidente do Conselho de Administração da União Brasileira dos Promotores de Feiras (UBRAFE), ressaltou a importância de centros de convenções dentro de shopping centers. “Além da segurança, conforto e confiança que ficam à disposição dos participantes, realizar um evento dentro de um estabelecimento deste tipo agrega e oferece uma gama de serviços – como alimentação, estacionamento e lazer, entre outros”, comentou o palestrante.

Por fim, vale ressaltar que um dos principais fatores que tornam os shoppings uma ótima opção de ativo para investimento de médio e longo prazo é a sua resiliência. “Historicamente, é o último setor a entrar em crise e o primeiro a sair dela”, enfatiza Felipe Fulcher, sócio Diretor de Novos Negócios da  Legatus Asset da Legatus Asset.  Segundo dados da Abrasce, BACEN e IBGE, a performance de vendas de shopping centers no Brasil - entre 1995 e 2017 - vem aumentando seguidamente, sempre entregando lucro, independente das diversas crises que o setor enfrentou, entre elas a Crise Mexicana (1994), a Crise Asiática (1997), a desvalorização do real (1999), a Crise do Subprime (mercado imobiliário norte-americano, de 2008 a 2011)  e a Crise da Lava Jato, que acontece desde 2014.

 Fonte: Persona Consultoria de Comunicação
Fundos de Investimento em shopping centers são tendência e rentabilizaram 147% no último período Fundos de Investimento em shopping centers são tendência e rentabilizaram 147% no último período Reviewed by Redação on 6/15/2018 03:59:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-