Com atuações sublimes e temas pertinentes, ‘Como Nossos Pais’ já é destaque do ano

Filme consagrou-se o maior vencedor do último Festival de Gramado: 6 prêmios

Crítica  | Por Thiago Mendes
thiagomendes@portaltelenoticias.com

(Foto: divulgação)
Filme foi o grande vencedor do 45º Festival de Gramado (RS), o segundo
mais tradicional do país, onde recebeu os prêmios de melhor filme,
direção, atriz, ator, atriz coadjuvante e montagem
Não são poucas as qualidades deste que já podemos incluir entre os melhores lançamentos do ano. Recém-consagrado como grande vencedor do 45º Festival de Gramado (RS), o segundo mais tradicional do país, onde recebeu os prêmios de melhor filme, direção, atriz, ator, atriz coadjuvante e montagem, ‘Como Nossos Pais’ é o quarto longa-metragem da consistente filmografia de Laís Bodanzky, que antes dirigiu os premiados ‘As Melhores Coisas do Mundo’ (2010) e ‘Chega de Saudade’ (2007), além do aclamado ‘Bicho de Sete Cabeças’ (2000).

Se em seus dois filmes anteriores Laís falou sobre a adolescência (2010) e a velhice (2007), agora a diretora se debruça sobre adultos consolidados, à beira dos 40 anos, com importante enfoque no papel da mulher na sociedade atual. Sua protagonista é Rosa, em sublime interpretação de Maria Ribeiro. É através dela que refletimos até que ponto a emancipação e o empoderamento feminino já se tornaram realidade concreta no dia a dia da maioria das mulheres. Filha, esposa, mãe e profissional, Rosa tem muitas conquistas, mas sente-se sufocada pelas múltiplas tarefas que ainda são impostas à mulher independente do século 21.

(Foto: divulgação)
Grande parte da força de ‘Como Nossos Pais’ encontra-se, também,
 nas ótimas interpretações dos personagens secundários,
 tão bem construídos quanto os centrais
Diversas crises surgem em seu horizonte: o casamento com Dado (Paulo Vilhena), o relacionamento estremecido com a mãe (impecável atuação de Clarisse Abujamra), a crescente frustração profissional. Diante disso, e em meio ao caos do cotidiano urbano, ela se vê impelida a buscar sua verdadeira identidade como mulher. “Eu não dou conta!”, finalmente exclama em certo momento.
Seja pelo equilibrado roteiro, escrito em parceria entre Laís e seu esposo, Luiz Bolognesi, seja pela competente direção de Laís, o filme tem o mérito de não se tornar um mero panfleto feminista, o que, em termos dramáticos, o deixaria entediante. Como a própria diretora afirma, não se trata da mulher contra o homem, e sim da mulher com o homem, transformando juntos os (pre)conceitos da sociedade.

Grande parte da força de ‘Como Nossos Pais’ encontra-se, também, nas ótimas interpretações dos personagens secundários, tão bem construídos quanto os centrais. O cantor Jorge Mautner comove ao dar vida ao tristonho, mas bem-humorado Homero, pai de Rosa. Outrora animador de festas infantis, traz com ele a gênese tanto do palhaço melancólico, quanto do bobo da corte, que discretamente revela as verdades dos fatos. Quem também surpreende é Cazé Peçanha. O antigo apresentador da MTV é seguro e convincente em sua breve participação como irmão de Rosa.

Se há um senão é quando a jovem Caru (Antônia Baudouin), fruto de outro relacionamento de Homero, questiona Rosa sobre as hipocrisias do modelo tradicional de família. Não tanto pelo conteúdo, mas especialmente pelas palavras e pelo modo como são empregadas, soam como um discurso artificial, colocado à força na boca da personagem. Acreditamos que Caru apoia o que diz, mas não nos convencemos de que falaria daquela forma. É semelhante ao que acontece em ‘Casa Grande’ (2014), de Fellipe Barbosa, quando a adolescente cala adultos ao defender seu direito às cotas universitárias. Felizmente é apenas um pormenor, pois o filme nos ganha muito antes.

Abordando temas pertinentes e universais, e com atuações poderosas, que nos envolvem e emocionam em questão de segundos, ‘Como Nossos Pais’ é uma obra para ser lembrada por muito tempo. De carreira internacional bem encaminhada, com lançamento garantido em diversos países e críticas positivas em grandes publicações especializadas, tem um caminho cada vez mais pavimentado rumo às grandes premiações internacionais. É, como esperado, candidato a ser o representante brasileiro a postular uma indicação ao Oscar 2018. Torçamos para que a sensatez e coerência batam à porta da comissão avaliadora do país este ano.

Veja o trailer:


Como Nossos Pais (Brasil, 102 min, 2017)
Dir.: Laís Bodanzky - Estreou em 31/8


As opiniões expressas nessa coluna são de inteira responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a opinião do Portal Telenotícias.
Com atuações sublimes e temas pertinentes, ‘Como Nossos Pais’ já é destaque do ano Com atuações sublimes e temas pertinentes, ‘Como Nossos Pais’ já é destaque do ano Reviewed by Redação on 9/01/2017 12:54:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-