Veja 5 verdades que te farão investir na renda fixa

Especialista ensina as diferenças entre os tipos de renda fixa e garante: dinheiro na poupança é furada!

(Foto: Getty Images)
"Existem vários tipos de renda fixa que rendem muito mais que a poupança
e oferecem a mesma segurança", garante educador financeiro
Muitas pessoas se preocupam em realizar trabalhos extras para conseguir mais dinheiro, quando muitas vezes basta aplicar o dinheiro do jeito correto. Segundo o investidor Robinson Trovó, educador financeiro e especialista da Trovó Academy, é preciso tirar o dinheiro da poupança e colocá-lo para trabalhar a seu favor. "Existem vários tipos de renda fixa que rendem muito mais que a poupança e oferecem a mesma segurança, o que derruba o mito de que investir é perigoso", destaca.

O especialista lista quatro formas de investir o dinheiro em renda fixa: CDB, LCI, LCA e Tesouro Direto. O primeiro passo para compreender totalmente os rendimentos de juros é saber que a poupança rende 70% da taxa SELIC, que é a taxa básica de juros dos bancos do país. "No fim das contas, a poupança rende menos que a inflação, e por isso, ao ser retirado, o dinheiro vai valer menos do que valia quando você o colocou lá", explica. Enquanto isso, os outros investimentos rendem valores próximos ou até maiores que o CDI. "Esta sigla representa um valor operado pelos bancos, mas de uma forma geral caminha sempre muito próxima do valor da taxa SELIC, portanto consideramos as duas como iguais".


Os tipos de investimento

(Foto: divulgação)

O especialista Robinson Trovó
Após explicar isso, Trovó ensina o que são cada um dos tipos de investimento. O CDB é um empréstimo que se faz ao banco e que pode render média de 80% a 100% do CDI. "Se ele rende a partir de 95% do CDI, já é mais vantajoso que a poupança, mesmo cobrando imposto de renda", explica, destacando que os bancos trabalham com um valor mínimo de investimento que é de, em média, R$ 5 mil.

Os fundos de investimentos LCI e LCA se diferenciam essencialmente pelo que será feito com o dinheiro: ele será destinado ao financiamentos de projetos imobiliários ou agronômicos, respectivamente. "Estes dois devem render mais de 100% do CDI e exigem que o dinheiro fique no mínimo 6 meses sem retirada", explica. Como a exigência para estes investimentos é de R$30 mil no mínimo, eles são menos comuns. "Quem não tem grandes quantias para investir pode ficar com o Tesouro Direto, que é quando você empresta o seu dinheiro para o governo, o que permite um investimento inicial de apenas 100 reais", ensina Trovó, alertando que o dinheiro deve ficar retido por pelo menos um ano.

Por fim, o especialista ensina os 5 fatores que devem ser considerados por quem quer investir em renda fixa:

1 - É possível começar com 100 reais

Segundo Trovó, não é necessário ser rico para começar a investir. "Quem quer ter o dinheiro rendendo mais que a inflação pode começar pelo Tesouro Direto", ensina. O segredo é criar um pensamento de investidor. "Conforme você for acumulando capital, pode começar a diversificar onde aplica o dinheiro".

2 – É tão seguro quanto a Poupança

O educador financeiro lembra que muitas pessoas se limitam à poupança apenas por medo de perder o dinheiro que têm. "A ideia de perder o dinheiro investido é um mito, pois estes investimentos são tão seguros quanto a poupança", explica. "O medo é apenas algo cultural em algumas pessoas".

3 – Existem investimentos de diversos períodos e bolsos

Trovó conta que os investimentos rendem mais dinheiro quanto mais tempo permanecem aplicados, e por isso é preciso considerar quanto se tem no bolso e qual o tempo que será possível ficar sem acesso a ele. "Entre CDB, LCI, LCA e Tesouro Direto, cabe a cada um escolher o melhor conforme sua realidade", explica. “Todo mês separo 10% do meu salário e aplico na renda fixa, é uma forma de construir minha independência financeira. Agora estudo como investir também na bolsa de valores e quando tiver conhecimento suficiente também passarei a investir nesse mercado. Eu não tive uma educação financeira em casa ou pessoas ao meu lado que investem, mas acho importante que as pessoas busquem conhecer sobre esse mercado para derrubarem seus mitos e medos”, conta o aluno Walmir Campos Flores, de 34 anos.

4 – É possível variar os investimentos

Há casos de pessoas que têm uma parte do dinheiro investido em LCI, outra em CDB e outra em Tesouro Direto. "Você pode ir variando os investimentos conforme houver variações positivas em cada um", explica. "Como o Tesouro Direto rende o valor da Inflação somado a 5% de juros, ele pode ser mais vantajoso caso ocorra uma diminuição nos índices do CDI ou um aumento muito grande da inflação", explica.

5 - Qualquer um pode fazer

Por fim, o especialista ensina que qualquer pessoa pode aplicar o dinheiro com facilidade e pouco esforço. "Não é preciso estudar números ou entender de cálculos, basta ter vontade e pegar as informações necessárias com o banco ou a instituição financeira", conclui.

Fonte: Sigma Six
Veja 5 verdades que te farão investir na renda fixa Veja 5 verdades que te farão investir na renda fixa Reviewed by Redação on 12/21/2016 02:00:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-