Em ‘Os Campos Voltarão’, experiente diretor italiano nos lembra a estupidez da guerra


Por Thiago Mendes
thiagomendes@portaltelenoticias.com

(Foto: divulgação)
Desde o início, a melancólica trilha musical de Paolo Fresu
nos dá a dica para o que estamos por presenciar
A guerra é estúpida, dolorida, cruel, desumana. Ainda que este último termo seja contraditório, uma vez que é provocada e levada a cabo pelo próprio homem. Em essência, é o que o veterano diretor e roteirista italiano Ermanno Olmi nos relembra, de maneira toda particular, em ‘Os Campos Voltarão’.

Título curioso, aliás. A legenda, remanescente da exibição na última Mostra de São Paulo, diz ‘Os Prados Retornarão’ - correspondente ao pé da letra de “Torneranno i prati”, nome original - que acho mais adequado, uma vez que remete à vegetação (vida) que há de voltar após o fim da esterilidade provocada pelo inverno (guerra). Digo isso porque, sabendo o tema abordado pelo filme, logo associei a palavra “campos”, do título em português, aos repugnantes lugares de extermínio mantidos pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. E como bem veremos, não é esta a guerra em questão (já não é de hoje que nossas distribuidoras andam pisando na bola na hora de batizarem os filmes por aqui).

Pois bem. Motivado por histórias contadas pelo pai, combatente na Primeira Guerra Mundial, e inspirado em fatos reais do conflito, descritos no livro ‘La Paura’ (1921), de Federico Roberto, Olmi nos narra os acontecimentos de uma única noite em 1917, na região dos alpes italianos, onde um grupo de soldados locais encontra-se acuado em um ‘bunker’ - abrigo militar subterrâneo, outrora conhecido em nossa língua como ‘casamata’. Isolados pela neve do rigoroso inverno, e defronte às instalações da tropa inimiga, passamos a partilhar intimamente do sofrimento e angústia desses homens lançados à sorte do frio, da fome, do medo, e de ações inconsequentes disparadas por seus superiores, localizados a quilômetros de distância.

(Foto: divulgação)
Os tons monocromáticos e desbotados reafirmam a tristeza e agonia que a
proximidade da morte traz a um ser humano, sobretudo na guerra
Vencedor da ‘Palma de Ouro’ de 1978, em Cannes, por ‘A Árvore dos Tamancos’, Olmi não mede esforços para ressaltar, a cada quadro, a miséria e o sofrimento aos quais os valentes soldados são submetidos. Desde o início, a melancólica trilha musical de Paolo Fresu nos dá a dica para o que estamos por presenciar. Ela alterna-se com pesados momentos de silêncio, que enaltecem a solidão e a insuportável saudade dos familiares. Já a cenografia de Giuseppe Pirrotta impressiona pelo realismo e pela capacidade de nos enclausurar junto ao pelotão.

O que mais se destaca, contudo, é a singular fotografia de Fabio Olmi, filho do diretor. Em conjunto com cenários e figurinos (estes assinados pelo jovem Andrea Cavalletto), sua baixa saturação faz com que o visual se aproxime do sépia nas cenas internas, e do preto e branco nas externas. Se vida e alegria são comumente representadas por cores vivas, aqui os tons monocromáticos e desbotados reafirmam a tristeza e agonia que a proximidade da morte traz a um ser humano, sobretudo na guerra. O que dizer do soldado que desenvolve afeição pelo rato que lhe vem ao leito em busca das poucas migalhas desperdiçadas, a ponto de facilitar o trabalho do roedor? A iminência do completo desespero diante da morte a rondar faz-nos apegar ao menor sinal de vida e afeto.

Temos, ainda, a linda cena em que um dos soldados exprime seu fio de esperança pela paz através da bela canção que entoa a céu aberto, acima de sua trincheira, sendo aplaudido por colegas de ambos os lados. “Bravo, italiano!”, dispara um dos inimigos.

Sim, Ermanno. Bravo, italiano! Bravíssimo.

Eleito pela crítica como o melhor filme da 39ª Mostra de São Paulo, no ano passado, ‘Os Campos Voltarão’ estreia nesta semana, com exclusividade, no CineSesc da capital paulista.

Veja o trailer:

Os Campos Voltarão (Torneranno i Prati), Itália, 80 min, 2014. Em cartaz no CineSesc(SP) desde 07/7.

As opiniões expressas nessa coluna são de inteira responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a opinião do Portal Telenotícias.

Em ‘Os Campos Voltarão’, experiente diretor italiano nos lembra a estupidez da guerra Em ‘Os Campos Voltarão’, experiente diretor italiano nos lembra a estupidez da guerra Reviewed by Redação on 7/08/2016 11:46:00 AM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-