Acne é doença de pele mais comum na população brasileira


Sociedade Brasileira de Dermatologia revela que espinhas afetam 56,4% de brasileiros, além de ser o motivo que mais leva pacientes a procurarem ajuda especializada

(Foto: Getty Images)
Acne é o motivo que mais leva pacientes aos dermatologistas
A páscoa está chegando e com a data um velho conhecido dos dermatologistas vem à tona: a acne, que pode ser causada pela ingestão de ovos de páscoa. Popularmente chamadas de espinhas, as acnes podem aparecer em diversas faixas etárias e possuir diversos motivos. Segundo pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Dermatologia no ano de 2015, a acne é o problema dermatológico mais comum na população brasileira, afetando 56,4% das pessoas, além de ser o motivo que mais leva pacientes aos dermatologistas.

Engana-se quem pensa que o chocolate não possui nenhuma ligação direta com a proliferação de espinhas. A dermatologista da Joana Costa, da Clínica Dermatológica Joana Costa, explica que “o chocolate, juntamente com o leite, açúcar e demais gorduras utilizadas para fazer ovos e outras delícias da Páscoa, atuam indiretamente na criação da acne, já que estes alimentos são ricos em carboidratos de rápida absorção”.

Segundo ele, estes tipos de carboidratos estimulam os receptores hormonais da pele e fazem a glândula sebácea não funcionar bem. Assim, após formar o sebo, ele é acumulado nos poros, resultando na bactéria causadora das espinhas.

Joana Costa também enfatiza os diferentes tipos de acnes. No Brasil, há três tipos mais comuns de acnes: a adolescente, a genética e a adulta. A primeira é comum na puberdade e na menstruação, momentos em que há excesso de hormônios produzidos pelo corpo. A região mais afetada chamada zona “T” do rosto, que engloba nariz, testa e queixo.

A segunda ocorre quando o indivíduo possui uma predisposição para o surgimento acnes mais graves como a cística e a conglobata. Geralmente os pais tiveram espinhas severas que deixaram marcas no rosto. Por último está a acne adulta, comum na zona V do rosto, queixo e bochechas. As mulheres são as que mais sofrem com este tipo de espinha, por diversos fatores, entre eles a pele oleosa e problemas hormonais.

Não é possível nascer com a certeza de estar livre de acnes, já que as glândulas responsáveis por sua produção estão presentes desde o nascimento, mas permanecem inativas até a puberdade, época em que, diversas mudanças hormonais ocorrem por toda a pele, sendo mais comum na face e no couro cabeludo. Entretanto, sua proliferação também se dá na região das costas, ombros e peito e pode ocorrer de diversas maneiras.

Outro grande equívoco popular é não reconhecer as espinhas como uma doença. A SBD trata a acne como uma doença de pele que deve ser rapidamente tratada. Para cada caso há melhores opções de tratamento, desde medicamentos até lasers.

“As acnes devem ser tratadas assim que for dada sua primeira aparição, para evitar cicatrizes difíceis de serem removidas. Há diversos tratamentos eficazes como peelings e uso de ácidos tópicos que removem gradualmente as espinhas”, explica Joana Costa.

Em casos mais graves, a dermatologista indica tratamentos a base de isotretinoína oral. “O tratamento é mais demorado, porém os resultados são muito eficazes, muitas vezes acabando com o problema em definitivo”, explica a especialista. O tratamento de multiwaves também é ideal para acnes mais severas e em peles mais maduras. Feito a base de lasers, o tratamento garante a remoção, cicatrização e precavimento das espinhas em qualquer idade.

O tratamento só deve ser realizado mediante consulta médica. “É importante que os pais levem os filhos ao dermatologista. Além de cicatrizes físicas, as acnes também proporcionam transtornos psicológicos, devido à vergonha da aparência. Quanto antes o tratamento for iniciado, melhores serão os resultados”, enfatiza a dermatologista.

Fonte: Suprema Comunicação
Acne é doença de pele mais comum na população brasileira   Acne é doença de pele mais comum na população brasileira Reviewed by Redação on 3/23/2016 06:14:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-