Excesso de exames para prevenção é prejudicial


Médicos reforçam que procedimentos, como eletrocardiograma, podem indicar falso positivo ou sobrediagnóstico em casos sem suspeita de doenças

(Foto: Getty Images)
Eletrocardiograma não está indicado como exame de rotina para nenhuma
faixa etária em pacientes saudáveis e sem sintomas
A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) indica que excesso de exames para prevenção é prejudicial para a saúde do paciente. A entidade reforça que procedimentos, como o eletrocardiograma, recentemente indicado para crianças antes de iniciarem prática esportiva, apresenta potenciais benefícios e riscos.

Para Gustavo Gusso, diretor científico da SBMFC, o principal benefício seria diagnosticar precocemente problemas de saúde cuja intervenção reduz complicações ou mesmo mortalidade por doença cardíaca. “Em contraponto, os potenciais riscos são falsos positivos, ou seja, diagnosticar problemas que depois não são confirmados com exames mais específicos e o sobrediagnóstico, quando há um diagnóstico de alterações que não teriam consequência para a saúde da pessoa”, explica o médico.

No recente caso de indicação do eletrocardiograma pelo Instituto do Coração (INCOR), o mesmo não está indicado como exame de rotina, por rastreamento ou check up, para nenhuma faixa etária em pacientes saudáveis e sem sintomas. “Nessa situação, pode ser que seja necessário fazer o exame, mas a decisão depende de uma conversa com o médico de família ou clinico geral para juntamente com o paciente balancear potenciais riscos e benefícios", reforça Gusso.

Quem é o médico de família e comunidade (MFC)?

A medicina de família e comunidade é uma especialidade médica, assim como a cardiologia, neurologia e ginecologia. O MFC é o especialista em cuidar das pessoas, da família e da comunidade no contexto da atenção primária à saúde. Ele acompanha as pessoas ao longo da vida, independentemente do gênero, idade ou possível doença, integrando ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde. Esse profissional atua próximo aos pacientes antes mesmo do surgimento de uma doença, realizando diagnósticos precoces e os poupando de intervenções excessivas ou desnecessárias.

É um clínico e comunicador habilidoso, pois utiliza abordagem centrada na pessoa e é capaz de resolver pelo menos 90% dos problemas de saúde, manejar sintomas inespecíficos e realizar ações preventivas. É um coordenador do cuidado, trabalha em equipe e em rede, advoga em prol da saúde dos seus pacientes e da comunidade. Atualmente há no Brasil mais de 3.200 médicos com título de especialista em medicina de família e comunidade.

Fonte: RS Press
Excesso de exames para prevenção é prejudicial Excesso de exames para prevenção é prejudicial Reviewed by Redação on 7/02/2015 07:34:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-