Saiba como falar de morte com as crianças


Para especialistas em educação e psicologia, a sinceridade é sempre o melhor caminho

(Foto: Getty images)
"A sinceridade é o melhor caminho", diz educadora
Quando uma criança perde algum parente próximo ou até mesmo um bichinho de estimação, surge uma grande questão para os pais: como dizer a ela o que ocorreu? Como explicar, afinal, o que é a morte? O tema é delicado e, em muitos casos, os pais dizem mentiras para poupar os filhos do sofrimento. No entanto, de acordo com especialistas, a medida tem justamente o efeito contrário, prolongando a dor.

A psicóloga Ana Cássia Maturano explica por quê: “Quando não sabemos o que realmente aconteceu, imaginamos. E a imaginação é poderosa, tem asas que alcançam voos altos e seguem o rumo de nossas apreensões e emoções. Nada mais saudável que saber a verdade, por mais dura que possa ser, pois nos permite lidar com a realidade como ela é, sem armadilhas”.

Isso significa que dizer que “o vovô foi viajar” ou que o “cachorro fugiu” não são as opções mais adequadas. Para a educadora Jurema Esteban, diretora do colégio Evolve, a sinceridade é o melhor caminho. Os pais devem, então, deixar claro que a pessoa morreu e não voltará mais. A partir desse ponto, cada criança reagirá de uma forma – e os pais devem estar prontos para lidar com a situação. “As explicações devem seguir o curso de sua curiosidade”, ensina Jurema. “Algumas crianças farão muitas perguntas como, por exemplo, o que acontece depois da morte. O melhor é sermos francos e honestos. Se não soubermos o que responder, devemos dizer isso.”

O papel da escola

O que pode ajudar nesse processo de compreensão e aceitação da morte é um apoio mútuo entre familiares e professores. De acordo a diretora do Evolve, o papel da escola nesses casos é fundamental e pode acelerar a superação. “O trabalho em conjunto com a família ajuda a superar a crise com mais facilidade, principalmente quando envolve crianças muito pequenas.”

Por isso, professores devem abordar o assunto em aula, de maneira a preparar as crianças para a situação e acolhê-las quando vivenciarem uma perda. “Como o comportamento das pessoas ao redor interfere no enfrentamento das perdas, uma intervenção adequada no momento certo é de grande importância, podendo ajudar no encaminhamento do luto e no restabelecimento das condições emocionais dos pequenos”, explica.

A especialista ensina que existem diversas maneiras de trabalhar o tema. O primeiro passo seria realizar uma roda de conversa, para que o adulto fique a par dos conceitos que as crianças já possuem, ou seja, se sabem o que é a morte, se já perderam algum familiar, se sabem como confortar um coleguinha etc.

Em grupo, quando uma das crianças sofre uma perda, os adultos devem estimular os colegas a confortá-lo. “Eles devem propor brincadeiras e conversas descontraídas”, ressalta Jurema Esteban. “Os momentos de carinho também são muito bem-vindos. Ao perceber-se acolhida, a criança amadurece com mais facilidade a ideia da perda e, aos poucos, volta à rotina”.

Por fim, a especialista também sugere a utilização de livros que abordem o tema de forma lúdica. O universo das histórias pode ser grande aliado de pais e professores nesses momentos. “Quando a criança está passando por um momento de luto, os livros mais indicados são aqueles que mostram que a perda e tristeza podem ser transformadas em boas lembranças”.

Fonte: Plugcom
Saiba como falar de morte com as crianças Saiba como falar de morte com as crianças Reviewed by Redação on 5/22/2015 08:25:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-