'LER' é a segunda maior causa de afastamento do trabalho


Lesão do Esforço Repetitivo e demais Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho respondem por 60% dos casos de auxílio-doença registrados pela Previdência Social

(Foto: Getty Images)
Imagem ilustrativa
A LER, sigla da Lesão do Esforço Repetitivo, já é conhecida por milhares de brasileiros. A cada ano, profissionais que atuam em diversas áreas de negócio são afastados do trabalho por sentirem dor e limitação física nos membros superiores (ombro, braço, antebraço, pulso e mão) e dedos. De acordo com dados do Ministério da Previdência Social, de 60% a 70% dos casos de afastamento e de invalidez registrados são provenientes da Lesão do Esforço Repetitivo e demais Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). A maior incidência ocorre na faixa etária de 30 a 40 anos, quando o trabalhador está no auge de sua produtividade e experiência profissional.

"A LER, na verdade, não é uma doença. A Lesão do Esforço Repetitivo é uma síndrome constituída por um grupo de doenças que afetam os músculos, os nervos e os tendões, como a tendinite e a bursite. A síndrome é, em princípio, de baixa complexidade, mas como é, geralmente, diagnosticada em estágio avançado, causa um severo comprometimento dos membros superiores e dedos", explica o ortopedista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Marco Aurélio Neves.

O diagnóstico da Lesão do Esforço Repetitivo é feito, basicamente, com análise clínica. Durante a consulta, o especialista verifica o grau da síndrome e indica o tratamento mais adequado. "Para casos leves, recomenda-se o uso de anti-inflamatórios, nos moderados, o tratamento pode ser realizado com a ingestão ou aplicação de corticoides na região afetada, combinada com a realização de fisioterapia e, nos casos mais severos, há a indicação de cirurgia. Todo o tratamento deve ser realizado com o acompanhamento de um ortopedista", esclarece o médico.

Segundo o especialista, a LER pode ser prevenida com simples modificações de postura e comportamento durante o expediente de trabalho. Abaixo, o ortopedista Marco Aurélio Neves dá algumas dicas:

Ajuste a cadeira de modo que as costas fiquem apoiadas no encosto, os pés toquem o chão e os braços sobre a mesa;
Deixe o monitor na linha do horizonte ou levemente abaixo, a uma distância de 60 cm;
Posicione o teclado próximo ao corpo e o mouse próximo do teclado, para evitar tendinite;
Deixe os objetos mais utilizados ao alcance das mãos;
Evite colocar objetos pesados em lugar baixo;
Não fique muito tempo realizando a mesma tarefa, intercale os trabalhos para interromper a repetição de movimento;
Realize pausas curtas durante o horário de trabalho e alongue os membros mais utilizados na função;
Tenha uma alimentação saudável, pratique exercícios e visite um ortopedista regularmente.



Campanha de prevenção

O Hospital São Camilo Ipiranga desenvolveu a campanha educativa "Sua saúde agradece". Até o dia 3 de janeiro, os moradores da Zona Sul de São Paulo receberão informações sobre a LER e sobre a importância da prevenção e do cuidado com o corpo para evitar doenças ortopédicas.



Fonte: Ketchum
'LER' é a segunda maior causa de afastamento do trabalho 'LER' é a segunda maior causa de afastamento do trabalho Reviewed by Redação on 11/22/2013 12:29:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-