Dente do Siso: tirar ou não?


Artigo │ Dr. Henrique Taniguchi

(Foto: Getty Images)
Imagem ilustrativa
A cirurgia de extração do dente do siso é um procedimento tranquilo e sem grandes complicações. No entanto, saber a hora certa de tirá-los pode poupar complicações como cáries e inflamações na gengiva. Esses dentes, chamados de "dentes do juízo", geralmente surgem quando o paciente tem de 17 a 21 anos, sendo recomendada a extração assim que começarem os desconfortos, seja por dor ou devido à falta de alinhamento ou de espaço na boca.

Sintomas como rigidez no maxilar próximo ao dente prensado, dor e irritação em um dente emergindo em um ângulo estranho, inchaço infeccionado no pedaço de tecido da gengiva localizada no fundo da boca, “amontoamento” dos outros dentes, cáries, gengivite no fundo da boca ou uma sensação de desconforto conforme o dente raspa na bochecha, língua ou na parte inferior da boca, devem ser observados. E, em alguns casos, o dente pode apenas apontar, não causando dor, e deixar a gengiva exposta.

Por ser uma região de difícil acesso para a escova, muitas vezes a higiene não é feita de maneira apropriada, deixando espaço que pode propiciar acúmulo de resíduos alimentares, podendo infeccionar a região. Por isso, é essencial ter um acompanhamento da saúde bucal de maneira constante. Esta dica, sem dúvida, é preciosa para os jovens que já não são mais ‘levados’ pelos pais ao dentista.

No entanto, como identificar se a hora certa de tirá-lo chegou? Alguns testes simples, como sentir o fundo da boca e ao longo da linha da gengiva se um dente do siso está aparecendo com sucesso, e exames de raios-x podem ajudar a determinar se ele está se movendo e se seu alinhamento permitirá que cresça de forma segura.

Agora, se a decisão for pela extração, o paciente deve buscar um dentista especialista em cirurgia para realizar o procedimento de exodontia dos 4 sisos inclusos. E depois seguir atentamente a orientação dada pelo dentista para o período pós-operatório, garantindo uma recuperação segura. E, ao contrário do que muitos dizem, não é necessário ficar uma semana sem fazer nada como se a vida tivesse parado. Em 3 ou 4 dias, é possível recuperar-se dos inchaços e da secreção de sangue proveniente da cirurgia.

O repouso não é a única recomendação. Os principais cuidados são relativos à alimentação, tais como evitar alimentos muito quentes, sólidos e de difícil mastigação. Ou seja, alimentos em temperatura ambiente a gelada, líquidos e pastosos são bem-vindos. Inclusive, a ingestão de sorvete é parte importante no reestabelecimento porque cria uma sensação de anestesia no local da cirurgia.

Não falar muito, dormir com o travesseiro inclinado, manter-se a maior parte do tempo em postura ereta, ou com inclinação de 45 graus, também ajudam a conter problemas de sangramento e, consequentemente, aceleram o processo de recuperação. As atividades físicas também devem ser evitadas, pois fazem com que haja maior circulação de fluxo sanguíneo pelo corpo.

Todos os cuidados são simples e se feitos da maneira correta, o paciente só tem a ganhar; além claro de manter o sorriso e a saúde bucal sempre em ordem.

(Foto: divulgação)
Dr. Henrique Taniguchi é especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial pela USP, Mestre em Implantodontia – SLM/SP, professor do curso de especialização em Implantodontia (Orthoplace) e sócio do CCO – Centro de Cirurgia Oral (www.centrodecirurgiaoral.com.br).

Dente do Siso: tirar ou não? Dente do Siso: tirar ou não? Reviewed by Redação on 11/22/2013 06:04:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-