Chega de fungar! Veja dicas para conviver com os sintomas da rinite alérgica


Estima-se que 30% da população mundial sofre de rinite, doença que pode se manifestar durante o ano todo e em pessoas de todas as idades

(Foto: Getty Images)
Imagem ilustrativa
Embora aparente ser uma doença banal, muitas vezes não diagnosticada ou confundida com resfriado ou gripe, a rinite alérgica é uma enfermidade crônica que afeta a qualidade de vida e pode prejudicar o rendimento profissional, escolar e até mesmo a vida social dos seus portadores.

Causada por uma reação inflamatória da mucosa nasal, desencadeada por um corpo estranho no organismo (alérgeno), a doença pode se manifestar durante o ano todo e em pessoas de todas as idades, sendo mais frequente em crianças e adolescentes.

Segundo o estudo Allergic Rhinitis and it´s impact on Asthma (ARIA), realizado em colaboração com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 30% da população mundial sofre de rinite. “São pessoas que convivem diariamente com os incômodos sintomas da doença, como espirros, congestão nasal, coriza, lacrimejamento, olhos irritados, coceira (no nariz, na garganta e nos ouvidos), tosse e cefaleia”, explica o alergologista João Ferreira de Mello Júnior, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

O problema é que a maioria das pessoas acostuma-se a conviver com esses incômodos sintomas e não trata a doença, o que implica em prejuízo na qualidade de vida diária. “A congestão nasal atrapalha o sono, deixa o indivíduo sonolento, irritado e cansado durante o dia. As crianças, por sua vez, costumam ter dificuldade de concentração na escola, devido às noites mal dormidas, em função da respiração prejudicada pela doença”, exemplifica o médico.

Dados brasileiros sobre o impacto da rinite alérgica demonstram que mais de 60% dos pacientes sentem-se ansiosos, cansados e irritados em decorrência dos sintomas da doença. Quase 30% apresentam dificuldade para dormir e manter um sono tranquilo e contínuo, ocasionando sonolência diurna. Cerca de 50% deles relatam que a rinite alérgica apresenta impacto em seus afazeres diários, reduzindo sua produtividade profissional e escolar em 40% quando estão em crise.


Dicas para conviver bem com a rinite

Embora não tenha cura, as pessoas podem conviver com a rinite sem sofrer com os seus inconvenientes sintomas. A primeira iniciativa é buscar tratamento médico e adotar medidas simples no dia a dia que ajudem a diminuir a presença de agentes que causam alergia. Confira abaixo algumas medidas que trazem resultados e reduzem a manifestação dos sintomas:

No ambiente doméstico

- Manter a casa sempre limpa e arejada é uma boa maneira de reduzir a proliferação de ácaros, um dos principais alérgenos que causam os indesejáveis sintomas da rinite.

- Evite tudo o que possa juntar poeira, como carpetes, cortinas, cobertores ou bichos de pelúcia, e assegure uma higienização periódica desses itens, caso não possa se desfazer deles.

- Dê preferência a pisos lisos ou frios, como lajotas, ardósias, entre outros, que são mais fáceis de limpar e não abrigam ácaros. Evite varrer o chão com vassouras, pois a poeira fina sobe ao ser mobilizada e se mantém por um bom tempo no ar, por isso o pano úmido ou aspirador de pó são mais adequados.

- Evite agentes e substâncias irritantes, como desinfetantes. Para a limpeza do chão ou móveis, basta passar um pano úmido com sabão neutro.

- Cuide da higiene dos animais de estimação e, se possível, mantenha os pelos dos bichinhos mais curtos.

Cuidados com o quarto

Passamos, em média, 8 horas por dia dormindo. O que nem todos sabem é que o quarto pode ser o ambiente da casa mais contaminado por ácaros.

- O colchão, assim como os travesseiros, deve ser forrado para impedir a passagem de poeira. Os melhores travesseiros para os alérgicos são os de poliéster. A troca da roupa de cama deve ser semanal.

- Substitua os cobertores de lã por edredons, desde que não sejam forrados com penas, e lave-os semanalmente. Pelo menos uma vez por semana, deixe as portas do guarda-roupa ou armários abertas por um período de uma hora, para que o ar circule e entre claridade. Ácaros não gostam de luz e ambiente seco e limpo.

- Durma em local arejado. Em tempos mais secos, umidificadores de ar, toalhas molhadas ou bacias com água resolvem o problema.

- Se houver cortinas, estas devem ser limpas semanalmente, ou pelo menos a cada 15 dias. Cortinas de plásticos são mais fáceis de serem limpas.

No ambiente profissional

- Se possível, evite exposição prolongada a ambientes com ar condicionado ou salas com carpetes e cortinas de tecido;

- Longas jornadas de trabalho em ambientes fechados e com ar-condicionado, que muitas vezes ficam sem manutenção adequada, podem espalhar bactérias e partículas nocivas à saúde;

Cuidados com o corpo

- Hidrate o seu corpo. Dê preferencia à água.

- Lave o nariz com soro fisiológico pelo menos uma vez ao dia. Manter a mucosa hidratada diminui a congestão nasal.  Evite o tabagismo ou ambientes com cheiro ou fumaça de cigarro. Se possível, ninguém na casa deve fumar.

- Evite contato com substâncias que tenham cheiro forte (tintas, querosene e outros produtos químicos).

Tratamento

O tratamento da rinite alérgica se baseia atualmente em três pilares. Controle dos fatores ambientais: como evitar contato com os alérgenos que desencadeiam os sintomas; imunoterapia: conhecida por “vacina para alergia” - tratamento feito à base de uma vacina com alérgenos a que o paciente é alérgico; terapia medicamentosa: que inclui diversos tipos de medicamentos para o tratamento da rinite alérgica. Entre eles, estão os corticosteroides nasais (como a ciclesonida, fluticasona, triancinolona, mometasona e a budesonida, entre outros), os antileucotrienos, as cromonas, os descongestionantes nasais e anti-histamínicos (como a bilastina, fexofenadina, desloratadina, rupatadina e a loratadina, dentre outros).

Importante: nunca se automedique. O ideal é procurar um médico e seguir corretamente suas orientações.

Fonte: Ketchum

Chega de fungar! Veja dicas para conviver com os sintomas da rinite alérgica Chega de fungar! Veja dicas para conviver com os sintomas da rinite alérgica Reviewed by Redação on 5/14/2013 03:59:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-