Saiba quais são as principais causas da disfunção erétil


Segundo especialista, a maioria dos homens acredita que seu pênis é um órgão independente. Entretanto, a obesidade, o colesterol alto, o tabagismo e o álcool em excesso são determinantes para desenvolver o problema

(Foto: Getty Images) 
Imagem ilustrativa
Falhar na “hora H”. Qual homem já não teve esse pesadelo? Para que isso não se torne uma realidade, é preciso que o álcool em excesso, as carnes extremamente gordurosas e os inúmeros cigarros diários façam parte do passado. A disfunção erétil (DE) está associada, principalmente, aos problemas de origem orgânica como obesidade, colesterol, diabetes, tabagismo, além do uso de drogas e álcool em excesso. Estima-se que esses fatores são os responsáveis por mais de 80% dos casos de DE.

“É preciso estimular os homens para que se preocupem com a qualidade de vida. Certamente, uma melhora da saúde física resulta em um melhor desempenho sexual”, afirma o urologista Geraldo Eduardo Faria, diretor médico do Instituto de Urologia e Nefrologia de Rio Claro e presidente do departamento sexualidade Humana da Sociedade Brasileira de Urologia (biênio 2012-2013).

De acordo com o estudo Mosaico Brasil, mais de 50% dos brasileiros acima dos 40 anos têm algum grau de disfunção erétil. Com o avançar da idade, é comum o homem sentir maior dificuldade em manter o pênis ereto, por razões de origem orgânica – pacientes com doenças cardíacas são duas vezes mais propensos a desenvolver DE. “Basicamente, manter a ereção é um fenômeno circulatório, portanto, é preciso ter um bom fluxo sanguíneo na região para garantir a rigidez. Algumas doenças impedem que esse fluxo seja satisfatório”, explica Faria. “Inclusive, a DE passou a ser considerada um marcador de doença cardiovascular”, reitera. Um dos primeiros sintomas de algumas doenças crônicas (DC), como a hipertensão arterial e o infarto do miocárdio,  pode ser a disfunção erétil. Já a disfunção psicogênica, associada à ansiedade, é mais frequente em homens mais jovens.

Uma dieta alimentar adequada, rica em frutas e vegetais, e a prática de exercícios físicos podem ajudar a evitar tanto a DE quanto as doenças crônicas, fazendo com que o homem tenha uma vida sexual satisfatória com sua parceira. “O homem ainda tem uma visão distorcida sobre sua saúde, pois acredita que certos hábitos não interferem em sua vida sexual. Ele tem a certeza que seu pênis é um órgão independente”, completa Faria. O médico ainda explica que a principal função do urologista é, além de avaliar fisicamente o paciente, fazer com que o paciente encare seus problemas sexuais com mais naturalidade. Inclusive, com bom humor, ele repete uma frase de um autor desconhecido: “Você não deve exigir do seu pênis aquilo que você não consegue fazer com suas pernas”.

Segundo Faria, a ereção em si ainda é muito valorizada pelo homem, enquanto a relação sexual para a mulher é muito mais ampla que a obtenção do orgasmo. De acordo com o urologista, esse cenário vem se modificando nos últimos dez anos, principalmente, com o advento dos medicamentos para DE. “O homem passou a buscar uma solução para a disfunção erétil e a frequentar os consultórios médicos de forma mais assídua. Isso o fez ter uma preocupação mais ampla com sua saúde e o levou, inclusive, a discutir sua sexualidade de maneira mais aberta”, completa. Entretanto, é opinião quase unânime entre os entrevistados do Mosaico Brasil – mais de 95% das mulheres e dos homens -, que o sexo é importante ou muito importante para a harmonia do casal.

Luz no fim do túnel

Existe tratamento para todos os graus e tipos de dificuldade de ereção. Mesmo os portadores de insuficiência cardíaca, pressão alta e outras doenças relacionadas ao sistema cardiovascular podem fazer uso de medicamentos para o tratamento da disfunção erétil. Entre os medicamentos orais existentes, o Viagra (citrato de sildenafila), é indicado para o tratamento da DE, reestabelecendo o grau máximo de rigidez da ereção, com eficácia comprovada e boa tolerabilidade, proporcionando um melhor desempenho e maior satisfação sexual para o casal.

*Mosaico Brasil foi a maior pesquisa sobre sexo e afeto já realizada no País. Mapeou, ao longo de 2008, o comportamento afetivo-sexual de 8.237 homens e mulheres de 10 capitais brasileiras: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Brasília, Cuiabá, Manaus, Salvador, Fortaleza e São Paulo.

Fonte: CDN Comunicação Corporativa
Saiba quais são as principais causas da disfunção erétil Saiba quais são as principais causas da disfunção erétil Reviewed by Redação on 9/06/2012 02:45:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-