Estudo revela que 30% dos asmáticos correm risco de ataque fatal


Pesquisa realizada na Grã-Bretanha teve como objetivo avaliar a gravidade da asma em diferentes pacientes

Estudo realizado pelo Instituto de Asma UK, da Grã-Bretanha, revelou que um terço das pessoas que sofrem de asma correm o risco de sofrer um ataque fatal. Caracterizada por uma inflamação nas vias aéreas, a asma acomete geralmente os brônquios e bronquíolos, dificultando a respiração.

Realizado com 25 mil pessoas em uma pesquisa online sobre a doença, o estudo teve como objetivo avaliar a gravidade da asma em diferentes pacientes para tentar determinar os riscos de morte associados ao problema. Antes de passar pelo teste, menos da metade dos pacientes com asma reconheciam esse risco. Porém, mais da metade dos pacientes pesquisados (55%) não acredita estar sob risco sério, embora o estudo revele que 93% deles poderiam ter um ataque fatal.

De acordo com os pesquisadores, cerca de 75% das internações de emergência relacionadas a asma poderiam ser evitadas se houvesse um melhor gerenciamento da doença. A pesquisa conclui que os sintomas podem ser diferentes de acordo com cada paciente, sendo que aqueles que se internaram nos últimos seis meses têm mais chances de sofrer um ataque grave. Pacientes que precisam utilizar inaladores cinco vezes ao dia ou mais ou que tomaram medicamentos com base em esteróides nos últimos seis meses também foram classificados como pacientes de alto risco.

Asma no Brasil

(Foto: Getty Images)
No ano passado, 77,1 mil crianças foram internadas no
Sistema Único de Saúde devido a doença
No Brasil, a asma é responsável por pelo menos 2,5 mil mortes ao ano. Em 2011, de acordo com o Sistema Único de Saúde (SUS), 177,8 mil pessoas foram internadas em decorrência da doença. "Nossa realidade não é diferente e são poucos os que realmente conhecem os riscos da asma. A doença não tem cura, porém se controlada com acompanhamento médico, o paciente pode ter uma vida normal com remédios anti-inflamatórios e broncodilatadores, que promovem a dilatação dos brônquios", explica o Dr. Carlos Carvalho, pneumologista do Hospital do Coração.

Os principais sintomas estão ligados a falta de ar, chiado e aperto no peito, além de cansaço e tosse seca. “No inverno aumentam os casos de problemas respiratórios, em especial a asma. O tempo seco, partículas de fumaça, gases irritantes, substâncias químicas e alérgenos potenciais existentes na atmosfera agravam as crises asmáticas”, destaca Carvalho.

A seguir, os fatores que desencadeiam uma crise asmática:

Alérgenos e irritantes;
Infecções de vias aéreas;
Exercício físico (asma desencadeada por exercício);
Refluxo gastroesofágico;
Causas emocionais.

Veja como se prevenir da asma no inverno:

Encapar colchões e travesseiros;
Lavar semanalmente as roupas de cama;
Retirar cortinas, tapetes e carpetes;
Evitar contato com animais domésticos;
Promover a ventilação do ambiente.

Fonte: Target Comunicação
Estudo revela que 30% dos asmáticos correm risco de ataque fatal Estudo revela que 30% dos asmáticos correm risco de ataque fatal Reviewed by Redação on 6/18/2012 04:23:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-