Cães adestrados: mais que uma companhia, uma terapia


Adestramento, aliado ao instinto de fidelidade do cão, fortalece os laços de afinidade entre o homem e o animal

(Foto: Getty Images) 
Não há nada melhor do que receber um carinho especial de alguém que realmente gosta e se preocupa com a gente. Quando essa atenção vem de um animal de estimação a confiança e o retorno dessa cumplicidade aumentam. “O cão é um animal que quer agradar o dono a todo o momento, ele não se lembra das broncas, mas quer te fazer feliz”, comenta Aldo Macellaro Jr., veterinário e proprietário do Hotel Fazenda para cães Clube de Cãompo.

Mesmo que o instinto do cão tenha predominância no companheirismo e fidelidade, alguns donos procuram ajuda de profissionais para adestrar os bichos de forma que aprendam algumas regras de obediência básica, se tornando ainda mais dóceis e de fácil convívio. “Cada animal tem sua personalidade, precisamos observar quais meios de comunicação, contato ocular, contato físico e utilização da voz, brinquedos ou comida, que mais estimulam o cão, a partir daí focamos o treinamento em atividades que privilegiem o meio de comunicação mais eficaz para aquele animal. O que vale é entender porque estamos adestrando o cão, para qual finalidade, o que o proprietário espera do seu amigo”, ressalta Macellaro.
(Foto: divulgação) 
Idosos de Itu/SP são beneficiados com o
carinho dos cães socializados
Os cães treinados podem, muitas vezes, se tornar cães terapeutas, que auxiliam em tratamentos de doenças como depressão, por exemplo. Animais que são adestrados para este fim, podem se tornar amigos inseparáveis de crianças e idosos. Em Itu, por exemplo, existe um trabalho voluntário desenvolvido entre o Hotel Fazenda Clube de Cãompo e a Associação da Vila de São Vicente de Paulo, mais conhecida como Vila Vicentina, que de tempos em tempos recebe alguns cães socializados para passar momentos com os moradores do asilo.

“O contato com o animal proporciona uma confiança para o ser humano de maneira indescritível. Estudos apontam que ter contato com um cachorro pode trazer grandes benefícios, entre eles, auxilio no tratamento de doenças. A simples brincadeira de jogar a bolinha e pedir que o cão vá buscar, por exemplo, é um tratamento fisioterápico para os idosos”, garante o veterinário. No caso das crianças, a proximidade com um animal de estimação estimula a confiança, a responsabilidade, a afetividade, entre outros.

A rotina é necessária

Quem não gosta de rotina é o homem. Mas o cão precisa dela. “Quanto mais condicionado o animal tiver e seguir a rotina da casa, melhor vai responder aos ensinamentos de obediência básica, que são: senta, deita e fica. O veterinário ressalta que todos os cães, independente da idade, podem aprender regras e os comandos de obediência básica e se tornarem grandes amigos, em apenas 15 dias.

“Vale lembrar que é fundamental a participação do dono do animal nos resultados positivos do cão. Não adianta ensinarmos o cachorro e quando ele chega em casa os exercícios não forem aplicados”, alerta o profissional que acredita, “o ideal é que o dono participe do processo de adestramento, mas caso não seja possível ele precisa dar sequência na rotina adquirida pelo animal para que ele entenda a hierarquia e obedeça”, finaliza.

Fonte: Sigma Six Comunicação
Cães adestrados: mais que uma companhia, uma terapia Cães adestrados: mais que uma companhia, uma terapia Reviewed by Redação on 6/08/2012 04:03:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-