Estudo revela que ansiedade atinge 85% dos fumantes


Cerca de 40% dos fumantes apresentaram sintomas leves ou moderados de depressão

(Foto: Quim Roser/iStockphoto/Getty Images)
Estudo realizado pelo Serviço de Psicologia do Hospital do Coração (HCor), em parceria com o Ministério da Saúde, avaliou a melhor técnica para combater o tabagismo no Brasil. Cerca de 40% dos pacientes apresentaram sintomas leves ou moderados de depressão e mais de 85% dos pacientes apresentaram sintomas de ansiedade média ou alta.

“Observamos que a ansiedade deve ser tratada para obter êxito no combate ao tabagismo, por isso a importância do acompanhamento psicológico. Ela foi a principal responsável pela alta na taxa de não cessação do tabagismo durante o estudo”, diz Silvia Cury Ismael, Gerente do Serviço de Psicologia do HCor e responsável pela implantação do estudo.

Foram selecionados 208 pacientes fumantes, sendo 112 mulheres e 96 homens. Os pacientes foram divididos em dois grupos e receberam acompanhamento entre junho e dezembro de 2011. O primeiro recebeu apenas adesivos de nicotina, para substituir o cigarro. O segundo grupo, além da reposição de nicotina por meio de adesivos, receberam acompanhamento psicológico.

Entre os pacientes avaliados, foi observado que 26,5% possuíam hipertensão, 36,8% já fizeram algum tipo de tratamento para o tabagismo e 30,9% possuem dependência elevada.

Durante o estudo, os pacientes passavam quinzenalmente por consultas com os médicos da pesquisa que avaliavam questões relacionadas ao tratamento para cessação do tabagismo como efeitos colaterais, sintomas de abstinência, recaídas e dúvidas em relação ao uso da medicação. “Também foi realizado a medição do monóxido de carbono antes e ao final do tratamento de reposição. As consultas eram realizadas no HCor, quinzenalmente, por três meses”, diz Silvia.

“Atualmente estamos realizando o seguimento telefônico dos pacientes tratados, mas ainda não temos dados finais da abstinência destes pacientes. Durante o acompanhamento médico, foi verificado que alguns pacientes já apresentavam comorbidades que podem piorar ou trazer problemas de saúde mais severos caso não haja a cessação do tabagismo. Outro dado observado é que morar com outros fumantes, que é considerado um fator de risco de recaída já citado em outros estudos, é observado em 75% dos participantes”, finaliza Silvia Cury.
     
Sobre o Programa de Cuidado Integral ao Fumante do HCor

Formado por grupos de cinco a 10 pessoas que se reúnem uma vez por semana, durante dois meses, o programa tem obtido êxitos inéditos. Após início do tratamento, por exemplo, cerca de 80% dos pacientes permanecem em abstinência. Depois de um ano, 60% deles resistem ao cigarro, diminuindo consideravelmente os riscos de doenças cardiovasculares, hipertensão, câncer de diversos tipos, diabetes, entre outros males.

O Programa de Cuidado Integral ao Fumante é um dos trabalhos realizados pelo Serviço de Psicologia do HCor – Hospital do Coração em São Paulo, que há 16 anos atua fortemente na instituição com palestras educativas para jovens e adultos, além do atendimento interno a pacientes do hospital. Ao todo, desde o seu lançamento há 16 anos, já passaram pelo programa mais de 800 pessoas e, após a lei que proíbe fumar em lugares coletivos fechados houve um aumento de 40% na procura pelo tratamento.

Fonte: Target Comunicação
Estudo revela que ansiedade atinge 85% dos fumantes Estudo revela que ansiedade atinge 85% dos fumantes Reviewed by Redação on 5/30/2012 01:49:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Fale com a redação: contato@portaltelenoticias.com

-

Publicidade

-